Artigos

Soprando contra o vento

Soprando contra o vento

Por Dr. Pedro Ivo Moraes – Em 1985, o bioestatístico Richard Peto se reuniu com o experiente cardiologista Peter Sleight e uma equipe da Universidade de Oxford, na Inglaterra, para dar início à segunda etapa de um ambicioso projeto cujo objetivo era reduzir a mortalidade por infarto agudo do miocárdio (IAM). O estudo recebeu o nome de International Study of Infarct Survival – ISIS 2.

Leia mais

Prejuízos da onipresença do Judiciário na Saúde

Prejuízos da onipresença do Judiciário na Saúde

Por Dra. Sandra Franco – O Governo Federal, infelizmente, neste começo de mandato, está negligenciando um dos setores mais preocupantes do país: a Saúde. Têm-se priorizado outros temas e pastas: reforma da Previdência, demarcação de terras indígenas e porte de armas. É evidente que o Governo precisa gerenciar seus recursos para o país não cair em recessão, como se tem alardeado. Todavia, setores essenciais, como Educação e Saúde, deveriam ser prioridades em um governo de um país que pretende, um dia, ser desenvolvido.

Leia mais

Dez passos para produzir artigo científico de sucesso

Dez passos para produzir artigo científico de sucesso

Por Dr. Maurício Pereira – A publicação de artigos científicos é uma das formas pelas quais os pesquisadores divulgam os resultados de suas investigações e reflexões. Para que um artigo seja publicado em periódico científico, algumas qualidades são requeridas. O tema deve ser relevante, a pesquisa, de qualidade e o relato, bem-feito.

Leia mais

Tratamento e acompanhamento de pacientes com leishmaniose cutânea na rede de saúde

Tratamento e acompanhamento de pacientes com leishmaniose cutânea na rede de saúde

Os antimoniais pentavalentes por via sistêmica ainda constituem a primeira linha de tratamento da leishmaniose cutânea (LC). O antimoniato de meglumina (AM) é apresentado em ampolas de 5 mL, contendo 1,5 g de N-metil-glucamina, equivalente a 405 mg de antimônio pentavalente (Sb5+). Portanto, cada mL corresponde a 81 mg de Sb5+.1 A administração pode ser por via intramuscular (IM) ou intravenosa (IV); a última é capaz de diminuir o desconforto local. Caso se utilize a via IV, não há necessidade de diluição, embora o produto possa ser administrado com solução glicosada por comodidade.2

Leia mais

Ato médico

Ato médico

Por Dr. Genival Veloso de França - O ato médico deve ser entendido como um ato político, exercido de forma consciente e organizada, e traduzido por técnicas, ações e recursos que tenham como meta a saúde do ser humano e da coletividade. Seu alcance não deve ser limitado apenas ao indivíduo isolado do seu contexto social, mas estendido a um compromisso com o paciente como cidadão e com a sua realidade, na mais ampla concepção de ser humano. Em A Ética Médica diante do Paciente Terminal (Editora Santuário, 1993), Leonard M. Martin segue essa mesma linha de pensamento: “Uma outra característica desta nova prática médica é que se coloca como base para os deveres do médico e os direitos do paciente não o fato de ele ser doente, mas, sim, a sua própria condição de ser humano. Esta insistência sobre a dignidade do ser humano como origem e fundamentação dos deveres do médico e dos direitos das pessoas em relação a ele é consequência de o Código assumir como referencial a filosofia dos direitos humanos”.

Leia mais